Servidores públicos querem trabalho híbrido, mostra relatório

9 de agosto de 2022 Por Diogo Feliciano

Este artigo foi publicado originalmente na revista Government Transformation.

A grande maioria dos funcionários públicos está satisfeita com os acordos e disposições de trabalho remoto e híbrido (88,5%) e gostaria de continuar trabalhando dessa maneira no futuro, segundo um novo relatório.

A adoção forçada ao trabalho remoto e híbrido no setor público durante a pandemia é uma “inovação em gestão de pessoas que vai repercutir nos próximos anos”, segundo o estudo do People in Government Lab, centro de pesquisa da Blavatnik School of Government da Universidade de Oxford.

Os resultados do relatório sugerem que a transição generalizada para o trabalho em modalidade remota devido a pandemia de Covid-19 teve um forte impacto positivo no bem-estar e na produtividade dos servidores públicos – embora também destaquem os desafios dos acordos de trabalho remoto.

O relatório, que reúne respostas de organizações públicas do Reino Unido, Brasil e Chile, coleta as opiniões de 1.350 funcionários públicos do Reino Unido do DWP, HMRC, Cabinet Office, DEFRA, MoD e outros departamentos.

“O trabalho híbrido veio para ficar”

De acordo com a pesquisa, 61,9% dos funcionários públicos do Reino Unido disseram estar muito satisfeitos (61,9%) ou satisfeitos (26,6%) com acordos de trabalho remoto e híbrido e querem continuar trabalhando sob esse modelo, incluindo em tempo integral ou pelo menos três dias por semana de trabalho remoto. Apenas alguns entrevistados disseram estar insatisfeitos (4,9%) ou muito insatisfeitos (1,8%).

As descobertas são consistentes com as de um relatório de 2021, que mostrou que 97% dos servidores públicos gostariam de continuar trabalhando em casa após a pandemia, mesmo que essa não seja mais a opção padrão.

O trabalho remoto e híbrido resultou em maior bem-estar para a equipe, sem diminuição da produtividade, disse Anna Smart, líder de design organizacional do London Borough of Camden.

“No geral, foi muito bem-sucedido para nós”, disse Smart à Government Transformation. “Cerca de três quartos de nossa equipe vivenciou algum expediente de trabalho em formato remoto desde o início da pandemia (não é possível para algumas funções comunitárias, como cuidar e dirigir ônibus). Muitos de nossos funcionários continuam trabalhando parcialmente de casa, mas ‘híbrido’ é o nosso novo normal para a maioria dos funcionários.”

Smart acrescentou que desenvolver uma cultura de colaboração híbrida, garantindo que a equipe tenha acesso às tecnologias necessárias e contando com uma liderança que promova a confiança em formas flexíveis de trabalho foram os principais facilitadores para esse sucesso. Mais recentemente, a equipe da Smart tem pedido aos colegas que venham ao escritório pelo menos uma vez por semana para manter a conexão e fomentar a colaboração. No entanto, isso trouxe novos desafios.

“Ainda existem alguns temores em relação ao Covid e, para alguns colegas que fazem um trabalho processual particularmente pesado, ainda não está claro por que eles devem estar no escritório quando sentem que podem fazer bem seu trabalho de casa, também há preocupações sobre o custo de vida e de deslocamento, que pode ser caro para os colegas”, disse Smart. “Estamos trabalhando para tornar nossos espaços de trabalho lugares em que as pessoas realmente desejam estar e promovam a colaboração vinculada ao nosso propósito”.

Os benefícios do trabalho remoto foi percebido até mesmo por equipes que, antes da pandemia, favoreciam ou dependiam fortemente de reuniões presenciais. No caso de Tammy Noel, Vice-diretora de desenvolvimento e design do Cabinet Office do Reino Unido, a mudança para o trabalho remoto durante o período de lockdown fez sua equipe descobrir novas oportunidades que a tecnologia poderia proporcionar, incluindo a flexibilidade de trazer para reuniões, de forma rápida, partes interessadas de diferentes departamentos e comunidades graças às plataformas de videoconferência.

“Éramos uma equipe que dependia muito e adorava estar no espaço presencial”, disse Noel durante uma mesa redonda organizada pela Government Transformation. “Fizemos muitas intervenções trabalhando diretamente com clientes ou com nossa comunidade que sentimos que eram melhores naquele ambiente físico. Então, quando a pandemia chegou, foi um grande choque para nós, mas nos adaptamos muito rapidamente e transferimos muitas de nossas intervenções para o ambiente online e descobrimos maneiras de fazer isso de maneira eficiente.”

Uma pesquisa da empresa de gestão de experiência Qualtrics descobriu que os funcionários hoje exigem melhores espaços de trabalho físicos e digitais, incluindo a possibilidade de trabalhar remotamente. “O trabalho híbrido está aqui para ficar e as pessoas querem a tecnologia para permitir que sejam eficazes, onde quer que estejam”, disse Daly Simon Daly, estrategista de experiência do funcionário da Qualtrics. “Eles também precisam de um motivo muito convincente para estar no escritório.”

Desafios que persistem para o trabalho remoto

Mas, apesar do feedback extremamente positivo dos funcionários públicos sobre a experiência de trabalho remoto, o estudo People in Government Lab também destacou dois desafios contínuos do trabalho remoto que o setor público precisa enfrentar.

Estes incluíam a falta de interação humana e limites turvos entre o trabalho e o tempo pessoal. Outros problemas decorrentes do trabalho remoto relatados por funcionários do setor público do Reino Unido e seus colegas internacionais incluem sentir-se desconectado da equipe, dificuldades técnicas e ao trabalho doméstico, como por exemplo, o cuidado/atenção com as crianças.

Para superar esses desafios, os autores do relatório oferecem uma série de recomendações regulatórias e gerenciais. Isso inclui um apelo ao governo para desenvolver uma estrutura regulatória acerca do trabalho remoto e híbrido, definindo os diferentes esquemas de acordos de trabalho flexíveis, deveres de funcionários e empregadores e direitos de trabalhadores remotos e híbridos. As organizações públicas precisam adotar manuais e políticas para avaliar suas necessidades organizacionais e definir programas específicos e ferramentas de gestão.

Mas muito do sucesso contínuo do trabalho remoto dependerá da gestão, e o relatório sugere o fortalecimento das habilidades de liderança e práticas de equipe para garantir a colaboração e a comunicação da equipe. 

Outras iniciativas que os gestores do setor público podem introduzir para garantir um ambiente de trabalho remoto eficaz são a criação de mecanismos para melhorar o bem-estar da equipe, melhorar as habilidades de planejamento e gerenciamento de tempo e garantir que os novos membros da equipe, principalmente os mais jovens, sejam devidamente apoiados e introduzidos na organização.

Por Cristina Lago

Cristina Lago é editora-gerente da revista Government Transformation, supervisionando a cobertura editorial dos programas de transformação em todo o setor público do Reino Unido. Cristina vem cobrindo o tema de governo digital, GovTech e o setor de tecnologia corporativa em geral há vários anos, e foi anteriormente editora do CIO UK e editora associada do Tech Monitor.